silencio sentado a grama primavera

Um discípulo perguntou ao mestre:

- O que posso fazer para despertar?

O mestre disse:

- Nada, você não pode fazer nada. Você fazer algo para despertar seria como uma vela apagada acender de repente, sozinha. Isso é impossível! A menos que haja um contato com uma mínima fagulha que seja, a vela permanece apagada.

 

O que te guia neste “processo de auto-conhecimento” não podem ser as experiências do passado. Experiências se tornam memórias na mente, portanto, seguí-las é como tatear no escuro.

 

No encontro com a Verdade, o que te guia é essa chama viva, acesa, que chamamos de “Consciência”. Esteja atento ao chamado e disponibilize-se à chama da Consciência, isto é tudo o que você precisa “fazer”.

 

Não tenha pressa! Não se mova… Quando acesa, a chama surge timidamente, qualquer movimento pode apagá-la e se inicia quase que um “re-aprender”, um “acostumar-se”. Agora há luz e aos poucos tudo vai aparecendo com uma nova textura diante dos seus olhos. Na medida em que essa chama se estabelece, a luz se amplia e vai mais longe. No entanto, você pode fazer “nada” para que isso aconteça.

 

Osho dizia: “Fique quieto e saiba”. Fique quieto… Qualquer necessidade de chegar a algum lugar e, principalmente, de mostrar que você chegou a algum lugar, é da mente, do ego. Fique quieto… Ouça o Silêncio, enamore-se por ele e deixe que ele fale por você.  Sem pressa, papagaio! A primavera grama por si…

Be first to comment